Sarampo: campanha de vacinação contra a doença vai até o dia 13 março

Sarampo: campanha de vacinação contra a doença vai até o dia 13 março
Dicas

A vacina é direcionada às pessoas com idade entre 5 e 19 anos. Quem já tomou as duas doses da vacina, não precisa se vacinar novamente

Atenção: procure uma unidade de saúde mais próxima da sua residência e não esqueça de levar a carteirinha de vacinação

O que as mamães precisam saber sobre sintomas e sinais de alerta para essa doença

Mães e pais estão – compreensivelmente – em alerta depois das notícias de que alguns estados brasileiros têm surtos confirmados de sarampo. Juntos, Amazonas e Roraima, por exemplo, contabilizaram mais de 470 casos confirmados e mais de 1,5 mil estão em investigação. No Rio Grande do Sul, seis casos da doença foram confirmados em 2019. Os dados são do Ministério da Saúde.

Infelizmente, o Rio de Janeiro registrou a primeira morte no estado por sarampo no último dia 13. A vítima foi um bebê de 8 meses que, segundo a secretaria da saúde, contraiu a doença antes dos seis meses de vida (idade mínima para a primeira dose da vacina). Até fevereiro deste ano, o estado registrou 189 casos de sarampo em todo o estado. No ano passado, foram confirmadas 333 pessoas com a doença.

O novo surto da doença teve início em 2018 e acomete mais os bebês e as crianças. Apesar de ter sido considerada uma doença “erradicada” por longos anos, a sua volta deixa as autoridades de saúde e a população em estado de alerta, já que as sequelas são graves, podendo ser letal para bebês que ainda não foram vacinados.

Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo. Seu reaparecimento é uma consequência que condiz com as baixas coberturas vacinais registradas no país.

Levantamento de casos no país – Ministério da Saúde

Em 2019, foram notificados 53.761 casos suspeitos de sarampo. Destes, foram confirmados 11.896 (22,1%) casos, sendo 9.300 (79,0%) por critério laboratorial e 2.596 (21,0%) por critério clínico epidemiológico.
Foram descartados 22.089 (41,1%) casos e permanecem em investigação 19.776 (36,8%).

Situação Epidemiológica das semanas analisadas

No período de 18 de agosto a 09 de novembro de 2019 (SE 34-45), foram notificados 32.518 casos suspeitos de sarampo, destes, 4.323 (13,3%) foram confirmados, 18.343 (56,4%) estão em investigação e 9.852 (30,3%) foram descartados.

Os casos confirmados nesse período representam 36,3% do total de casos confirmados no ano de 2019. A positividade de casos confirmados, entre os casos suspeitos, foi de 23%.

A Mommy’s Angel informa tudo que você precisa saber sobre os sintomas, o esquema de vacinação e o tratamento do sarampo

Sintomas, tratamento e sequelas

Sarampo é uma doença infecciosa e extremamente contagiosa. A transmissão se dá pelo vírus que pode ser expelido na tosse, no espirro, durante a fala ou na respiração. A fase mais crítica para o contágio se dá dois dias antes e dois dias após o início da erupção cutânea.

É uma doença de notificação, portanto, se houver suspeita, leve a criança ao posto de saúde ou ao pronto-socorro.

Sintomas

O doente apresenta febre alta, acompanhada de tosse persistente, irritação no olho, secreção no nariz e manchas brancas na mucosa bucal. Em seguida, podem vir manchas avermelhadas no rosto, que podem se disseminar até o pé, e que duram três dias – é o vírus agindo.

É necessário isolar o doente para evitar transmissão – nada de levar à escola. Ou melhor, nada de sair de casa nem receber visitas. No mais, ele deve ficar de repouso em casa, pois terá febre alta.

O tratamento, orientado por um médico, é sintomático, recebe-se medicação contra a febre e intensifica-se a hidratação.

O sarampo pode levar à morte, principalmente em bebês não vacinados. Pode ocasionar diarreia, pneumonia, otite e meningite ou deixar sequelas como olho lesionado (úlcera de córnea).

Como evitar?

O único jeito de evitar a doença é tomando a vacina tríplice-viral (sarampo, caxumba e rubéola), disponibilizada pelo Ministério da Saúde gratuitamente nos postos de saúde.

A primeira dose da vacina deve ser tomada aos 12 meses; a segunda, entre 4 e 6 anos de idade – ou até os 29 anos, caso a pessoa tenha pulado o reforço (confira a caderneta de vacinação).

Dos 29 aos 49, a vacina também existe nos postos, gratuitamente, mas em dose única.A partir dos 50 anos, a pasta considera que a pessoa já foi exposta ao vírus.

A vacina vale para vida toda. Mas se você tem dúvida, se está imunizado ou não, vale a pena tomar de novo.

Sarampo, gestante pode se vacinar?

Olá mamães, nossa dica de hoje certamente vai ajudar muitas futuras mamães que têm dúvidas sobre tomar ou não a vacina contra o sarampo.

A resposta é não!! Não podem receber a vacina: gestantes, casos suspeitos da doença, crianças com menos de 6 meses e pacientes imunodeprimidos.

As grávidas devem esperar para tomar a vacina após o parto. O ideal é checar, antes de engravidar, via exame de sangue, se a gestante está ou não imunizada. Os obstetras costumam pedir esse exame nas primeiras consultas.

A vacina é o vírus atenuado. Os registros, raros, de reação são de alergia a algum componente.

Importante: se você já teve a doença, tranquilize-se, pois já está imunizado.

Mantenha em dia, mamães e papais, o cartão de vacinação fornecido por todos hospitais e postos de saúde no nascimento do bebê. Imunizar-se ainda é a melhor arma contra o Sarampo!

Mais informações sobre a doença, assim como unidades de saúde mais próximas para vacinação, acessem o site do Ministério da Saúde.

Fonte:
http://portalarquivos.saude.gov.br/campanhas/vacinabrasil/

Artigos Relacionados

Como sobreviver ao trabalho remoto com crianças em casa?

Mommy´s Angel

O Terror Noturno Infantil

Mommy´s Angel

Ciclos do sono do bebê

Mommy´s Angel

Deixe um Comentário