Cuidados com os bebês e as crianças em tempos de Coronavírus

Cuidados com os bebês e as crianças em tempos de Coronavírus
Consultoria Dicas

Olá mommy’s! Nesta matéria especial damos dicas de como os pais podem conciliar a rotina de trabalhar em casa com as crianças, que também estão em casa em tempo integral. O mesmo artigo também aborda os cuidados que as mães gripadas ou com COVID-19 devem ter com seus bebês, na amamentação e no convívio direto.

O novo coronavírus, COVID-19, tem crescido no mundo inteiro e todos nós já sabemos disso. São considerados casos suspeitos as pessoas que apresentam febre, quadro respiratório agudo (com ou sem febre), como tosse ou falta de ar.

Podemos dizer que, felizmente, mesmo com o alastramento da doença pelo mundo, as crianças tem sido pouco afetadas, tanto em relação ao número de casos quanto em relação à gravidade. Apesar de relatos, como o caso de um recém-nascido de 30 horas que adquiriu o vírus, são raras as descrições de casos em pacientes com menos de 18 anos nos estudos publicados até o momento.

Ainda não está claro para os pesquisadores se a baixa incidência é devida a fatores relacionados ao próprio vírus, que poderia estar causando doença pouco agressiva e não diagnosticada ou às questões ambientais. Isso porque a epidemia começou no período de férias e as aulas não foram reiniciadas, o que reduz o risco de transmissão nesta população.

Apesar da pouca incidência da doença em crianças, não é possível concluir que elas estejam protegidas, por isso é importante seguir as medidas de prevenção recomendadas para as infecções respiratórias.

A nova rotina das crianças em casa, em tempo de coronavírus

As medidas de isolamento social adotadas para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus impõem desafios para milhões de famílias que, agora, tentam conciliar rotinas de trabalho, o cuidado e educação dos filhos e convivência familiar, tudo isso concentrado sob o mesmo teto.

Equilibrar tantas tarefas diárias dentro do próprio lar não é fácil, menos ainda sob a tensão da ameaça da Covid-19, e suas repercussões emocionais e financeiras. Diversos especialistas da área de saúde mental destacam a importância do cuidado com o psicológico neste período, e enumera algumas estratégias para que adultos e crianças atravessem esta fase com a maior tranquilidade possível.

Os pais e mães não devem se cobrar tanto nessa fase. Vamos ser realistas e admitir que não é possível ter a mesma produtividade que teríamos se estivéssemos dentro da empresa, sem ninguém atrapalhando. Isso não vai acontecer, a de se concluir.

Atenção pais, cuidado para não acumularem carga de estresse em vocês!

Mães e pais não deveriam se cobrar para ter a mesma produtividade que teriam se eles tivessem na empresa. Isso não vai acontecer, é a realidade da fase em que vivemos. É importante lembrar e sentir que estão fazendo o possível dentro da situação que se apresenta.

Qual é a lição que as famílias podem tirar desta fase?

É certo que os pais serão mais exigidos pelas crianças. Ao mesmo tempo, elas estão mais estressadas e os pais são o porto seguro delas, por isso, vão exigir mais demanda emocional. Precisamos estar preparados para isso e entender que pode ser que, em algum momento, a gente perca a calma e a paciência, e isso também é humano.

Mas, lembrem-se, ainda somos os adultos e temos mais recursos psicológicos que as crianças, até porque cognitivamente entendemos completamente o que está acontecendo e a necessidade de estarmos em casa. Então vamos aproveitar para trabalhar temas com as nossas crianças como a ‘empatia’.

Como manter uma rotina para as crianças enquanto se está trabalhando em casa?

Não precisa ser só brincadeiras! Faça coisas desestruturadas dentro da rotina, pois eles não precisam de brinquedos estruturados. Ensine-os a cozinhar, por exemplo. Eles se divertem muito facilmente. A gente pode aproveitar e chamá-los para nos ajudar, ao invés de achar que temos que dar conta de criar 15 atividades para eles o tempo todo.

Socorro! Acabaram as atividades mas não a energia das crianças…

Também podemos educar nossos filhos para que saibam que as brincadeiras e atividades não poderão acontecer a todo tempo. Terão momentos em que eles vão ficar bravos ou chateados. E sabemos que a nossa geração de pais, frustrar as crianças é muito difícil. Mas esta situação que nós estamos vivendo é frustrante por si só, para todos nós. Porque ninguém escolheria estar em casa e não poder sair. Mas lembrem-se: frustrações são importantes, inclusive, para o nosso desenvolvimento.

Como diminuir a ansiedade dos nossos filhos?

Crie uma rotina para este período. As crianças entendem e precisam de rotina, senão tudo fica mais caótico. Eles ficam ansiosos, querem saber o tempo todo o que vão fazer depois disso, depois daquilo. A rotina traz segurança. Então tentem manter uma rotina parecida com o que tinham, mesmo que em casa.

Algumas dicas: acorde, faça um café da manhã, leve-os para ver televisão, depois chame-os para brincar, ler um livrinho, fazer alguma brincadeira ou atividade física, porque eles também precisam gastar energia.

Estão surgindo inúmeras possibilidades de atividades e encontros virtuais, muitos contadores de história estão fazendo lives. Incentive as brincadeiras e as atividades lúdicas. Muitas escolas estão mandando tarefas para os pais ou cuidadores fazerem nesse momento. Não é só para terem atividade, mas para os pais não ficarem loucos com as crianças em casa. Dessa forma se afeta menos a rotina de uma criança, que já está tão afetada por não poder sair de casa.

Como ajudar nossos filhos a lidar com a saudade de pessoas queridas, como os avós?

Caso seja seguro, procure não afastá-las do convívio com seus cuidadores principais. É importante que a criança fique perto de quem ela confia nesse momento de tanta incerteza. Porque são as figuras que elas vão procurar num momento difícil.

E é importante trazer virtualmente as pessoas que estão longe para perto da criança, sempre que possível, não promovendo uma ruptura abrupta. As conversas virtuais com os avós, com os tios, com os amigos da escola, com as pessoas que elas estão acostumadas e gostam, ajudam muito.

Mãe com gripe ou coronavírus pode amamentar seu bebê?

As mães com sintomas de gripe devem lavar as mãos prolongadamente antes de tocar em seus bebês, usar máscara cobrindo boca e nariz com troca a cada mamada e evitar falar durante a amamentação.

O ideal, segundo os especialistas, é que a mãe use máscara sempre que se aproximar ou tocar na criança. Além disso, deve evitar ficar junto o tempo todo – o ideal é manter distância de dois metros nos períodos em que o bebê estiver dormindo, por exemplo.

Caso, por algum motivo de saúde, a mãe tenha que retirar o leite no lugar de amamentar, as bombas e acessórios devem ser minuciosamente higienizados com água e sabão.

O impacto do coronavírus nas gestantes ainda não é bem conhecido, já que são poucos os estudos concluídos até agora. Não há relatos de transmissão placentária de mãe para filho, mas a possibilidade, segundo especialistas, ainda não pode ser descartada.

É preciso estudar os efeitos dos fluidos maternos e a transmissão perinatal, que ocorre do parto até a primeira semana de vida.

As recomendações da Academia Americana de Pediatria, orientam para procedimentos de parto de mães com teste positivo de coronavírus. Neste caso, mãe e bebê devem ser mantidos separados após o nascimento da criança, ainda que provisoriamente, para evitar contágio por secreções respiratórias.

Caso a mãe exija ficar com a criança, o bebê pode ficar no mesmo quarto, mas dentro de incubadora e com distância mínima de um metro e meio. O desejo da mãe deve ser documentado. No parto e nos procedimentos de cuidados com o bebê, os profissionais devem usar Equipamentos de Proteção Individual, como máscaras, luvas, aventais e gorros. O banho do bebê deve ser imediato, para limpeza de secreções.

Se testada positivo, a criança deve ser mantida isolada das demais, em espaço individual com pressão negativa de filtragem de ar. Se não houver UTI neonatal individual, a distância entre incubadoras não pode ser inferior a um metro e meio. Em qualquer caso, nenhuma pessoa com sintoma de gripe deve se aproximar de recém-nascidos.

Fontes:
https://www.hospitalinfantilsabara.org.br/o-novo-coronavirus/
https://oglobo.globo.com/sociedade/coronavirus-servico/maes-positivas-para-coronavirus-devem-ser-separadas-dos-bebes-24356676
https://brasil.elpais.com/brasil/2020-04-07/crie-uma-rotina-com-os-filhos-na-quarentena-e-nao-os-subestimem-eles-sabem-que-tem-algo-acontecendo.html

Artigos Relacionados

Shantala para bebês

Mommy´s Angel

Sono pós-parto: como conseguir seguir uma rotina de sono normal mesmo com um recém-nascido em casa?

Mommy´s Angel

Resolva de uma vez por todas o seu problema em amamentar! Contrate o serviço de consultoria materna online

Mommy´s Angel

Deixe um Comentário